Textos e Contextos 1

Aqui não iremos debater ou argumentar em relação a todas essas questões, iremos tão-somente definir o conceito efetivo e funcional de Ciência e demonstrar os alicerces funcionais de todas as ciências e o Elo Essencial que integra a Parapsicologia às demais ciências.


FAZER CIÊNCIA

Em primeiro lugar é preciso definir o que é fazer ciência.
Tudo o que o Ser Humano faz, somente o realiza, na medida em que tiver um Objetivo que o direcione.
E, convém observar, que TODAS AS CIÊNCIAS possuem um Objetivo Comum: “IDENTIFICAR as Leis que REGEM o Funcionamento do Universo”.
Portanto, FAZER CIÊNCIA é DESCOBRIR ou identificar as Leis que regem o funcionamento dos elementos constitutivos do Universo, definidos como Objeto de Estudo daquela Ciência.
Fazer Ciência é, pois, identificar Leis ou princípios – conjunto de leis – que REGEM o Funcionamento do Universo, da menor partícula ao maior conjunto de elementos constitutivos do Universo.
Exemplificando: do átomo às galáxias, do unicelular ao Jatobá e à Baleia, da pedra ao Ser Humano e a Mente Humana, o elemento mais sólido ao mais imperceptível aos sentidos humanos, do diamante ao pensamento, da lapidação à imaginação.

COMO FUNCIONA?

Todo Processo De Pesquisa Ciêntifica: fundamenta-se numa só pergunta: como funciona?
Sem a pergunta, Como Funciona?, a pesquisa e os estudos científicos podem perder seu norte, ficarem sem rumo, pois somente esta pergunta permite buscar com objetividade e clareza a Identificação da Lei ou princípio, permitindo perceber como funciona aquele elemento ou conjunto de elementos.

ESTATÍSTICA E LABORATÓRIO

Ainda que a Estatística seja um instrumental importante, facilitador – em muitos casos – na Identificação das Leis e Princípios que regem o funcionamento da realidade cósmica, convém lembrar que ela é meio e não fim da atividade científica.
A Estatística pode também conduzir à Anti-Ciência.
Exemplificando: afirmar que o cigarro, o tabagismo é a causa maior do câncer de pulmão, pois 60% das pessoas que fizeram câncer de pulmão eram fumantes, sem avaliarmos outras variáveis interveniente no processo, poderá induzir a erros catastróficos. Deixando-se, por exemplo, de identificar a verdadeira causa do Câncer de pulmão que é a Depressão, a mãe de todos os processos cancerígenos. Ignorando-se outras variáveis intervenientes como, poluição do ar por veículos de transporte, por gazes industriais; causas comportamentais; e a causa maior – como já foi enunciado – a Depressão.
Resultados estatísticos nem sempre levam a Identificação de uma ou mais leis que regem a Relação Causa-Efeito. Fazer Estatística nem sempre é, por conseguinte, fazer ciência.
Laboratórios sofisticados, estruturados entre quatro paredes ou experiências realizadas em definidos espaços geográficos, podem ser indispensáveis para a realização de determinadas pesquisas científicas, mas não são obrigatórios nem indispensáveis para a realização de todas as experiências científicas, todas as pesquisas e estudos científicos a serem realizados por todas as ciências.
Cada Ciência precisa, sim, encontrar instrumentais adequados, através dos quais possam ser identificadas as Leis que regem o funcionamento dos elementos constitutivos do seu Objeto próprio de Pesquisa e Análise.

PARAPSICOLOGIA COMO CIÊNCIA

A Parapsicologia tem como primeiro objeto de seus estudos os Fenômenos Paranormais. A pergunta fundamental da Parapsicologia – como Ciência – é, pois: Como funcionam os fenômenos Paranormais?

DOUTRINAS E A PARANORMALIDADE

Doutrinas Religiosas, Místicas e Filosóficas – ao longo dos séculos e milênios – sempre consideraram os Fenômenos Paranormais como manifestações de um mundo sobrenatural, Espiritual ou do Além. Como se o mundo do Além pudesse se intrometer-se na vida dos seres humanos sem ser convidado. Fala-se até mesmo de um mundo Paralelo ou mais de um.
A Parapsicologia, enquanto Ciência, faz a pergunta:
– Como, de fato, FUNCIONAM os fenômenos Paranormais? Seriam, realmente, manifestações do Mundo do Além? Ou haveria uma explicação, aqui e agora, dentro de nosso tempo e espaço, capaz de esclarecer seu funcionamento?
– Haveria como identificar as Leis – ainda desconhecidas – que regem os Fenômenos Paranormais?
– Seriam os Fenômenos Paranormais manifestações de uma Energia – ainda desconhecida pelos seres humanos – semelhante à Energia Elétrica que se manifestava através do Raio assustador?
As perguntas se multiplicam e os questionamentos se aprofundam.
Lendo diferentes estudos sobre a Fenomenologia Paranormal, percebia essas perguntas e questionamentos sendo feitos por diferentes autores, de forma mais ou menos direta ou presentes nas entrelinhas.
Eu, contudo, Pedro Grisa, filho da roça, em contato direto com a Natureza do Universo e dos Seres Vivos, oriundo de família pobre de descendência italiana, buscava resultados práticos que pudessem ajudar o maior número de pessoas, ajudar o povo simples. Permanecia eu, sempre isento de aspirações acadêmicas e catedráticas.
Para mim, a comparação entre o Raio e a Fenomenologia Paranormal, a Energia Elétrica e uma possível Energia oculta, desconhecida, presente nas manifestações da Paranormalidade, eletrizou meus desejos de desvendar mistérios e descobrir as Leis e os Princípios que REGEM o Funcionamento dos Fenômenos Paranormais.
Identificar uma nova energia e, descobrir as Leis e Princípios de seu Funcionamento, abrindo novos horizontes à Espécie Humana, talvez superiores aos proporcionados pela Energia Elétrica, era desafio de quilate almejado por um Paranormal e Superdotado, ainda que filho da roça.
Modéstia que vá às favas, e a mesmice da Mediocridade que continue morando na casa dos mesquinhos.

PARAPSICOLOGIA E OUTRAS CIÊNCIAS

Tudo o que a Espécie Humana realizou, ao longo dos séculos e milênios da História da Humanidade sobre o planeta Terra, teve e tem como objetivo maior, buscar garantir a SOBREVIVÊNCIA das pessoas, dos grupos sociais e da própria Espécie Humana.
Por isso, pode-se afirmar sem medo de errar que, “todas as Descobertas Científicas, bem como os inventos delas decorrentes, sempre tiveram em mira a Garantia de Sobrevivência do Indivíduo, do grupo e da própria Espécie”.
Os estudos científicos do SISTEMA GRISA constatam e comprovam que “os fenômenos Paranormais tendem a manifestar-se sempre que a pessoa ou um grupo de pessoas vivenciam uma forte ameaça à sua sobrevivência, desencadeando fortes emoções”.
Diante dessa constatação, o SISTEMA GRISA fundamenta todos seus estudos na relação Ser Humano e sua Sobrevivência, como Indivíduo, ser Único e Espécie; Sobrevivência sempre dentro de um determinado Espaço e efetivada através do Tempo. Dito de outra forma: “A Espécie Humana – como Indivíduo ou Grupo Social – vive diretamente relacionada com a Geografia e a História – o espaço e o tempo.”
A Parapsicologia, como a Ciência dos Fenômenos Paranormais, visa, pois, encontrar instrumentos e estratégias que ajudem os indivíduos e os grupos sociais a libertarem-se das ameaças internas e externas, imaginárias e objetivas, que ameaçam à sua Sobrevivência, causas desencadeadoras da Fenomenologia Paranormal, quando perturbadora ou prejudicial.

AS DEMAIS CIÊNCIAS

Analisando as demais Ciências, constata-se que todas elas relacionam-se com a Parapsicologia, através do Elo Essencial – a Sobrevivência da Espécie.
Constatado que é a “Busca da Sobrevivência” que impele os seres humanos a agir e reagir, definindo os objetivos de suas atividades, torna-se fácil imaginarmos como ocorre o desenvolvimento científico e tecnológico, produzindo estratégias, técnicas e invenções. Por isso a evolução científica e tecnológica – dando origem às mais diversificadas invenções e sistemas organizacionais – será tanto mais exigente, rápida e intensa sua evolução, quanto maiores e mais prementes forem as necessidades de Sobrevivência presentes nos diferentes grupos sociais .
Pode-se, pois, afirmar que a Geografia é a primeira ciência a ser estudada pela Espécie Humana desde os primórdios de sua História. Sim, a primeira descoberta científica realizada pelos seres humanos, foi “descobrir onde encontrar alimentos necessários à sua Sobrevivência”.
Onde, refere-se a Lugar. Para “descobrir o lugar onde está um alimento – água, fruta ou caça – é preciso desenvolver conhecimentos de direção, localização e como chegar lá. Para “chegar lá”, faz-se necessário definir e abrir caminhos, o que implica em conhecimentos de relevo e topografia, bem como da produtividade de cada espaço. Tudo isso, relaciona-se diretamente com a Geografia.

HISTÓRIA

As experiências de sucesso e fracasso, na conquista dos bens necessários à Sobrevivência dos indivíduos e do grupo social, relatadas de geração em geração, vão se constituindo em lições de vida para as novas gerações. E, gradativamente, estruturam-se os conhecimentos que farão parte da História do Povo.
Na medida em que um povo ou uma nação cresce e organiza-se, mais a História torna-se complexa e diversificam-se os enfoques, como à História Econômica, Política, Religiosa…
E, segundo um povo ou uma nação estabelece contato com outros povos, avançam os conhecimentos geográficos e amplia-se a Visão Histórica da Espécie Humana.

SOCIOLOGIA

Na mesma proporção em que cresce o número de pessoas que integram o mesmo grupo social, ampliam-se as necessidades de Organização, definindo papéis, tarefas e funções, desenvolvendo-se – gradativamente – estruturas cada vez mais complexas, inclusive uma Estrutura Hierárquica Funcional (ou de Poder), sustentada por costumes, normas e leis.
O menor grupo social, organizacionalmente estruturado, é o da Família, que evolui para o Clã e a Tribo, o Povo, a Nação…
À medida que cresce a Sociedade, tanto em número de indivíduos, quanto em Estrutura Organizacional, surgem outras necessidades e novas ciências: contábeis, jurídicas, políticas…

O DIREITO

Na medida em que se distribuírem as tarefas entre as pessoas que integram o Grupo Social, definem-se Deveres e Direitos, estabelecendo-se normas e leis. E surge a Organização Jurídica, fundamentada nos direitos naturais dos mais frágeis, especialmente as crianças, e os deveres dos mais fortes, os adultos.
Segundo as dificuldades impostas pelo meio geográfico na conquista dos bens necessários à Sobrevivência (alimentos, agasalhos, moradia e transporte), mais surgem as necessidades de descobrir meios que facilitem a conquista e o armazenamento desses bens, em decorrência dessas necessidades e da busca de novos meios.
Para fabricar instrumentos e equipamentos, realizam-se as descobertas científicas que irão dar origem à Biologia, à Física, à Química e à Comunicação, e tantas outras ciências derivadas dessas que irão fundamentar Estratégias, Técnicas e Inventos.

CIÊNCIAS E PARAPSICOLOGIA SISTÊMICA

O SISTEMA GRISA fundamenta suas atividades dentro de uma visão prática, objetiva, clara e direta, visando dar sua contribuição para o bem-estar e a felicidade dos seres humanos por meio da Orientação Parapsicológica que possui como objetivo maior Programar e Reprogramar o Subconsciente. Por isso, é essencial ao Orientador em Parapsicologia do SISTEMA GRISA e ao Parapsicologista Sistêmico, ter uma noção clara da Relação Direta existente entre as diferentes Ciências desenvolvidas pela Espécie Humana e as necessidades de Sobrevivência.
É preciso, pois, sempre observar quais foram as facilidades e dificuldades da pessoa e do Grupo social, que integrou e integra desde o histórico da família e dos antepassados, bem como de sua gestação e nascimento até o momento presente.
Conhecimentos de Geografia e História e demais ciências correlatas, são indispensáveis ao Parapsicologista Sistêmico e ao Orientador em Parapsicologia, afim de facilmente perceber um rol significativo de possíveis programações registradas no Subconsciente das pessoas que vivenciam Fenômenos Paranormais ou que buscam o autoconhecimento e o desenvolvimento pessoal.
Contudo lembrem sempre, Caopistas – pioneiros do SISTEMA GRISA – que esses conhecimentos devem ser sempre “desfrescurizados” de sofisticações inúteis e cientificismos enciclopédicos, distantes ou distanciados da realidade cotidiana, prática e funcional.
Enfatizando ainda que “todo processo científico é regido pela pergunta: como funciona?”.
Caopista amigo funcione sempre com a cabeça iluminada pela estrela de seu grande ideal, mas com os pés firmes no chão da realidade objetiva e as mãos prontas para comunicarem-se com o mundo que o rodeia de forma clara, direta e objetiva, ciente de que todas as pessoas são maravilhosas e boas, mas que podemos dar a nossa contribuição e colaboração com muitas delas visando aperfeiçoar o funcionamento de seu Subconsciente, pelo método de Programação e Reprogramação Mental.

Observação: Este texto não possui uma bibliografia especifica, contudo pode-se buscar informações nos manuais de historia e de geografia, bem como em obras referentes as ciências supra citadas.

Texto de autoria do mentor do SISTEMA GRISA – Dr. Pedro Antonio Grisa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.