FREI HUGOLINO E OUTROS FRANCISCANOS

Frei Hugolino, conhecido internacionalmente, especialmente na América do Sul e Alemanha, de 1978 a 2011, realizou importantíssimo trabalho na Pastoral de Saúde, sempre respeitando as orientações da Igreja Católica.

Frei Hugolino Back e outros confrades franciscanos ajudaram milhares, talvez milhões de pessoas, tanto na Saúde Física quanto Mental, associando o Poder da Fé, a Imposição das Mãos, a Paranormalidade e o Poder da Mente.

O Instituto de Parapsicologia e Potencial Psíquico – IPAPPI, na pessoa do Dr. Pedro Antonio Grisa, desde 1983, prestou assessoria científica e de estudos bíblicos e na produção de obras, sempre com a aprovação de Frei Hugolino.

A obra mais significativa é O PODER DA FÉ E A PARANORMALIDADE. Esse livro que relata a descoberta e a evolução da Paranormalidade, na vida de Frei Hugolino e outros freis paranormais, associada à uma profunda Fé Cristã, em homenagem à despedida de Frei Hugolino de seu corpo físico, cujas mãos tantas vezes foram instrumentos para semear a Paz e a Saúde.

A EDIPAPPI homenageia Frei Hugolino, oferecendo a você a Historia de Sua Vida, com 30%trinta por cento de desconto, sem custos de correio ou 50%-cinquenta por cento, quando adquirido no balcão da Editora.

Queremos que essa Obra da Pastoral de Saúde se propague, mais e mais, desejo permanente de Frei Hugolino.

__________________________

Mamãe Perardt – Freis Hugolino e Gervasio

 

Vamos celebrar magnificamente o Dia das Mães.

O Mundo melhora, à medida que melhora a qualidade das Mães.

Todos conhecem o adágio: “Atrás de um Grande Homem sempre está uma Grande Mulher.”

Com meu senso de humor – porém não tão jocosamente assim – costumo afirmar:

“Não, atrás de um Boneco Gigante, sempre está uma ótima manobrista!”

Todavia – como criador do IPAPPI e mentor do Sistema Grisa – à medida que avançam as pesquisas e os estudos sobre Vida Intra-Uterina e as Programações do Subconsciente, proprias desse período da existencia humana; mais e mais, evidencia-se a relação direta da Gestante, seus pensamentos e emoções, suas frustrações, sonhos e ideais, com o futuro cidadão em formação e desenvolvimento em seu útero.

Desde minha infancia, lá na roça, sempre observei que, se a gente queria colher milho, grão de milho era preciso plantar.

Tantas e tantas observações, tantos e tantos estudos, pesquisas, análises e esperiencias fiz e acompanhei, ao longo dos anos desse jovem-há-mais-tempo – iniciando seu o septuagésimo primeiro ano de nascido – que sou eu, pude chegar a conclusão de que  o filhote humano, recém-nascido, é a semente  do futuro cidadão.

Mais do que a herança genética que os pais possam transmitir ao filho; muitíssimo mais significativa é a herança mental e emocional, alicerçada nos valores e convicções da Mãe-Gestante, durante o período de gestação, transmitidos ao filho; como as gemas mais preciosas, presentes na Historia da Especie Humana: do Amor, da Fé e da Felicidade.

Pode-se concluir que a mãe é a Planta Humana e a criança recém nascida é o fruto que contém em si a semente da futura pessoa, com suas fragilidades e todos os seus talentos…

Portanto, pode-se criar um novo adagio: “Antes de um grande Ser Humano sempre faz-se presente uma Grande Mãe!…”

Pode-se concluir que a mãe de Frei Hugolino foi uma Grande Mãe, a Grande Mãe Perardt que foi uma verdadeira heroina.

Basta lembrar que ela não desanimou nem desistiu depois de ter tido cinco gravidez de gemeos. E dos dez filhos, nenhum sobreviveu.

Confiando em Deus e Nossa Senhora de Lourdes, presente na Gruta de Angelina-SC, ela suplicava: “Mãe de Jesus, peça a Deus para que ao menos um filho meu viva!”

E, de joelhos, aos pés da Gruta de Nossa Senhora, suplicava a Maria, Mãe de Jesus: “Sei quanto sofrestes, Maria, ao ver seu Filho Jesus, morto, preso ao lenho da Cruz. Peça a Deus que permita que ao menos um filho eu possa embalar em meus braços, para aliviar esse sofrimento sem fim que se renova e amplia, cada vez que mais um corpinho desce  ao fundo de mais uma cova, lá no cemiterio, E, quantas facadas de dor parecem partir meu coração, todas as vezes que vou rezar por eles; e vejo aquelas cruzes de madeira, plantadas – uma ao lado da outra. Mãe Maria dê-me um filho vivo, ao menos. Tenha piedade de mim.”

Quando Frei Hugolino comentava essas coisas comigo, sempre concluía, afirmando: “E minha mamãe teve mais uma dupla de gêmeos; e, conforme seu pedido, um só filho viveu, que sou eu. Minha mãe, teve a alegria de gerar e criar depois de mim, mais cinco filhos. Meu colega de gestação minha mãe viu seu corpinho ir embora, para o cemiterio da comunidade de Rancho de Taboas. Às vezes, penso que foi por isso que Deus me deu o dom de ajudar a devolver para tantas mães os seus filhos com saúde. Como esse rapaz, que lhe contei, que foi salvo, depois de ter um pedaço de galho de árvore atravessado a cabeça de fora a fora…”

E eu via o olhar de Frei Hugolino – naquele tempo eu ainda podia enxergar seus olhos luminosos – perder-se ao longe. Onde estaria mergulhando seu pensamento? Nunca me atrevi a interromper aqueles seus momentos de mergulho no Além…

Conversando com Frei Gervasio, também percebia seu entusiasmo ao relatar – apesar de sua dificuldade na fala – os resultados obtidos com a imposição das mãos, mesmo antes de Frei Ugolino chegar a Santo Amaro da Imperatriz-SC.

Agora era eu que mergulhava no passado e pelos morros de Angelina-SC. E imaginava como as mães dos Freis Hugolino e Gervasio haviam sofrido com seus filhos, as duas mães Perardt, a mãe de Frei Ugolino era irmã do pai de Frei Gervasio.

Sim, ao ver seu filho nascer com aquele corte na boca, que os médicos chamavam de labio leporino, grande deve ter sido o susto, o medo da morte e o sofrimento que se seguiu, para alimentar e ter tantos outros cuidados com seu bebê, tanto para alimentá-lo, quanto para um dia poder falar.

Como a mãe de Frei Hugolino, ela também era mulher de profunda Fé e confiava em Deus.

Como brincava Frei Gervasio: “Apesar de meu labio rachado e voz fanhosa, assim mesmo tinha mocinhas querendo namorar comigo, porque achavam que eu poderia ser um bom marido. Mas, quando Evaldo (nome de batismo de Frei Hugolino) me contou que estava disposto a ir para o convento dos Franciscanos, depois de recebermos a visita de nosso tio Frei Crispim; eu também decidi ser irmão leigo. Poderia usar o hábito de franciscano, sem precisar estudar como os padres…”

 

Viajo pelos caminhos de nosso Instituto de Parapsicologia e Potencial Psíquico – IPAPPI – Sistema Grisa; e resultados de Pesquisas dançam em minha mente:

-“Da Placenta do Sofrimento, nascem trigemeos univitelinos, o Depressivo, o Paranormal e o Superdotado. Ver em meu Blog o artigo “Um Tesouro em Três Baús”.

 

– Características do Homem e da Mulher, esperados de sexo oposto.

 

Ver essas temáticas esplanadas em O JOGO E A ESTRUTURA DAS PERSONALIDADES de minha autoria, 1a. edição em 1992, e 2004 edição revisada.

 

A constatação mais recente é de que os filhos e netos de mães e avós de profunda Fé, especialmente de Mães Católicas, filhas da roça, solucionam suas dificuldades com muita facilidade, relativamente a outras pessoas que não possuem essa herança mental e de Fé.

 

Volto a enfatizar:

“A Familia bem estruturada sempre possui como fonte de Luz e Vida, uma Grande Mãe e uma Esposa Feliz.

E a Família continua a Célula Mãe da Sociedade efetivamente organizada: contudo, ela também é Mãe da Saúde e do Sucesso!”

 

– O Grisa publicou esse artigo atrasado. O Dia das Mães, já passou!

 

– O Dr. Grisa não pode estar atrasado; ele está sempre mil anos à frente do seu tempo! – exclama um admirador entusiasta do Sistema Grisa.

– E todos nós sabemos que Dia das Mães é todo dia da semana, do mês e

do ano! -participa outra voz enfática.

– E quem não mais tem mãe? – interroga uma moça de voz tristonha.

– Sou solidario à sua dor e sofrimento. Porém, ouça-me! Ninguém morre! apenas muda o modo de viver. Portanto, se sua mãe não estiver mais presente em seu corpo físico; sua mãezinha não morreu; o que morreu foi seu corpo. Todavia, se você sentir saudade de sua mãe, como diz Dr. Grisa: “Parabéns para você e para sua mãe; pois, se você sente saudade, é porque ela foi uma boa mãe para você; e ela gostava de você. E, gostava de você, porque você, com certeza foi uma boa filha para ela; ainda que, por vezes, fizesse alguma coisa que ela não concordava e até pudesse repreender algum ato seu ou atitude atrapalhados. Agora ela está livre do corpo físico; portanto, livre dos limites de Espaço e Tempo. Também está livre das necessidades orgânicas, das necessidades de alimentação, agasalho, moradia…

Ela está integrada a perfeita Harmonia do Universo e integrada ao infinito Poder de Deus. Mais ainda, ela pode ajudar você. E ela quer ajudar você; porém, ela lhe respeita, como Deus respeita sua liberdade. Por isso, ela só irá ajudar-lhe, se vocês aceitar, permitir ou pedir que ajude você.

Agora, livre de tudo o que é terreno e terraque, ela sabe que você não precisa pedir-lhe desculpa, por coisa alguma que você possa ter feito de aparentemente errado. Pois, embora ela não aprove nem concorde com atrapalhadas suas, ela sabe – melhor que todos nós – que, sempre que você tenha agido ou venha a agir de forma inadequada; você não fez de livre vontade e, sim, impelido(a) pelo automatismo mecânico de seu Subconsciente…

Quanto mais feliz você estiver, mais feliz ainda ela irá sentir-se…

Se antes sua mãe poderia estar com você, em alguns momentos; agora ela sempre pode estar com você. Viva a Mamãe dos Freis e de cada um de nós!…

 

Quer saber mais sobre tudo isso, está a sua disposição a coletânea de CD’s do Dr. GRISA, O SENTIDO DA VIDA, resultado de um pedido de um dos sabios do Sistema Grisa, Frei Alvadi Pedro Marmentini, Padre Capuchinho, quando integrava a equipe de pesquisadores do IPAPPI, nas décadas de 1980 e 90.

Floripa 09-05-2011.

Recanto de Harmonia da Familia Grisa.