ESCRITO POR: Dr. Ricardo Di Bernardi

Portal A concepção de um universo físico, tridimensional, objetivo, matemático, newtoniano, que foi necessária para impedir o avanço do fanatismo religioso, hoje já pode se abrir ao Universo energético, multidimensional, transcendental, einsteniano, quântico e extrafísico. Está surgindo a aliança da ciência com a espiritualidade. A concepção do homem psicológico está se ampliando e oferecendo um novo horizonte para a humanidade, o homem psi, ou seja, o homem paranormal. A paranormalidade, e o potencial mediúnico presentes no Homo sapiens moderno são aquisições milenares estruturadas ao longo de muitos séculos. Essas faculdades, existentes em percentuais diferentes em todo ser humano, foram equivocadamente santificadas, divinizadas ou amaldiçoadas e perseguidas, conforme os interesses dominantes. Sensibilidade paranormal e faculdade mediúnica são janelas psíquicas abertas para o sol da realidade das múltiplas dimensões do universo. São valorosas ferramentas que podem e devem ser utilizadas a serviço do Bem Comum. São instrumentos oportunos que deixaram de ser tratados como crendices ou charlatanismo para se tornarem objeto de pesquisa em grandes universidades do mundo. Médium é apenas um intermediário que retransmite ideias e vivências da realidade extrafísica. Há médiuns e paranormais em todos os níveis culturais e éticos, em todos os segmentos religiosos como em laicos ou agnósticos. Há paranormais bem informados, estudiosos e outros que, distantes dos cursos de esclarecimento tornaram-se temerosos e assustados, entregando-se, tal qual ovelhas simplórias, para serem tosquiadas por oportunistas ou então se perdem no emaranhado dos fenômenos, passando a adquirir posturas fantasiosas, fanáticas, e até ridículas. Essas sensibilidades não são propriedade nem do espiritismo nem da parapsicologia, mas patrimônio do ser humano. A faculdade mediúnica não pode ser símbolo de superioridade nem receber o rótulo apressado de estar-se “pagando débito cármico”. Cada sensitivo tem a própria história no decorrer das suas múltiplas existências no construir da sensibilidade paranormal e ou mediúnica. Aquele Deus inventado pelos homens, emocional, temperamental, e antropomórfico, seguramente não aceitamos que exista, mas o entendemos como a força que permeia o macrocosmo, as galáxias, bem como Ele estar presente no microcosmo das partículas subatômicas, o Deus que não castiga nem perdoa pois é imutável como Amor Universal. A ação do Amor Universal, da Lei imutável, faz-se através de inúmeros seres espirituais, esses se comunicam intuindo a todos nós no dia-a-dia, no labor diário, aos que se predispõem a perceber. Não são necessários, rituais, posturas de religiosismo medieval, mas atitudes equilibradas para sintonizarmos ondas de harmonia. É importante sabermos que premonições não são fatalidades, são reais sim, muito verdadeiras, mas captações de probabilidades, porém modificáveis a cada fração de segundo por posturas mentais, individuais ou coletivas que passarão a produzir ondas de luz a sintonizar novas correntes de energia, gerando consequências diferentes das previstas. Muitos luminares da ciência e das artes foram e são, sensitivos inspirados, vivendo mais na esfera paranormal do que na física, captando ou canalizando mensagens e informações da dimensão extrafísica com facilidade e as materializando nas suas obras e invenções, em benefício da humanidade. Projetam-se, às vezes em sonho, fora do corpo físico e filtram as percepções que vão além do convencionalismo do mundo. Muitos foram os paranormais do planeta Terra que, ao sentir as energias superiores, mergulhados na atmosfera da luz espiritual e transmitirem a realidade transcendental foram equivocadamente divinizados pela humanidade imatura. Médiuns ou paranormais seriam missionários ? Queridos amigos: Todo ser humano é um missionário. Mesmo não o sendo em abrangência planetária, todos nós temos pequenas missões com os familiares, com o trabalho, com nosso círculo de relações , mas sobretudo , renascemos para antes mesmo de ajudar ao próximo, amar a nós mesmos, pois a nossa primeira missão é com o nosso crescimento pessoal. O equilíbrio de nossas qualidades paranormais e mediúnicas, seu estudo, (e para isto os cursos são importantes) sua organização criteriosa, envolta na ética, nos leva à abertura para percepções da nossa realidade maior: quem somos nós ? De onde viemos? Para onde vamos? Já é hora de abrirmos a janela da mente, para o sol do esclarecimento iluminar nosso espírito e sentir a beleza da natureza e da vida.

 

DATA DE ENVIO: 02 fevereiro 2012
ESCRITO POR: Dr. Ricardo Di Bernardi
– Médico, autor de 9 livros no Brasil e 2 na Espanha, Presidente do ICEF e Efetua Terapia Regressiva à Vivências Passadas.
www.icefaovivo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.